Voluntários nas igrejas • 8 dicas especiais para as lideranças

1) Faça uma seleção de voluntários entendendo a motivação da equipe e alinhando expectativas (dos dois lados;

2) Muitas vezes o voluntário não tem experiência na área, cabe à igreja capacitar, treinar e motivar para que ele faça o melhor com o que tem em mãos;

3) Por falar sobre o que temos em mãos, VALORIZE o tempo do seu voluntário. Grande parte deles são estudantes, não tem um emprego fixo e muita dificuldade financeira para até mesmo se deslocar até a igreja. Se puder, ofereça um lanche ou uma ajuda no transporte.

4) Não confunda voluntariado com estágio ou emprego fixo. O voluntário doa daquilo que ele tem disponível. Então, crie uma escala de trabalho, com dias e horários pré-estabelecidos. Lembre que mais importante que ele servir, é que tenha uma vida espiritualmente saudável, que assista aos cultos, e não que fique o mês inteiro trabalhando em todos as reuniões, sem mesmo com tempo para cuidar de si mesmo.

5) Certifique-se de que o voluntário esteja sob uma liderança espiritual.

6) Seja gentil com sua equipe de voluntários. Eles são peça fundamental para que a comunicação das igrejas aconteçam. A maioria não tem recursos para contratar um profissional integral. Então cuide, proteja, treine, prepare e envie. Isso quer dizer. Se ele precisar de uma carta de indicação para trabalhar, seja o primeiro a indicá-lo.

7) Ore pela sua equipe e incentive para que compartilhem os testemunhos uns dos outros.

8) Lembre-se, voluntário não é funcionário. Peça que ele assine o termo de voluntariado previsto por Lei 9.608/98 e respeite isso. A sugestão é que seja um turno por semana.