Feed organizado x Feed Informativo x Feed harmônico

Como funciona esta questão de feed organizado para igrejas no Instagram?

Se tem uma coisa que tem incomodado quem trabalha na área de comunicação nas últimas semanas é a história do Feed Organizado no Instagram. Esta tendência tem sido ditada pelos influenciadores digitais e tem se espalhado por diversos segmentos. A primeira pessoa no meio cristão que vi trabalhar com feed organizado brilhantemente no Instagram foi a Janaina Depiné, que faz isso há anos, do perfil Elegante Sempre.

Este ano em todas as palestras que realizei fui questionada sobre fazer o feed organizado ou não. Sou o tipo de pessoa que zela pela qualidade do conteúdo que informa/transmite uma mensagem acima de tudo. Depois de discutir isso com várias mentes brilhantes em nossa Lista de Transmissão no WhatsApp (faça parte enviando “sim”), ver e ouvir opiniões bem diferentes, analisar os últimos relatórios de dados do uso das Redes Sociais aqui no Brasil resolvi destacar algumas observações que podem contribuir para sua tomada de decisão e formação de opinião. E claro, por favor, deixe suas observações nos comentários!

1) Não existe certo ou errado. Não existe regra. Se é certo ter feed organizado ou não. Isso é uma questão de identidade, trabalho visual, planejamento e coerência dentro de uma proposta.

2) Faça um plano de Comunicação da sua igreja/ministério/marca. É no planejamento que você vai alinhar os pontos de contato que a identidade visual criará entre você e seu público. Quais redes sociais irão usar? E principalmente, ter a visão clara de qual tipo de mensagem pretendem passar.

3) Conhecendo o público-alvo que pretende alcançar você terá ideia se as estratégias pretendidas comunicam de fato com quem quer falar.

4)Você sabe quem é seu público-alvo? Sabe onde ele está? Você sabe quais são as redes sociais mais acessadas do Brasil e seu nível de penetração por região? Isso é muito importante. De vários feedbacks que recebi sobre ter Feed organizado, informativo, harmônico, li e ouvi muitos depoimentos de membros de igrejas em que nas suas cidades o Instagram não é a principal mídia. Que as pessoas ainda usam mais o Facebook.

Não é atoa que continua no topo das redes mais acessadas do Brasil. Segundo pesquisa do Hootsuite/We are social (jan/2019: Youtube – 95%, Facebook – 90%, WhatsApp – 89% e Instagram – 71%).

Sabe por qual motivo uma pessoa pode preferir usar o Facebook ao Instagram ainda nos dias de hoje? Por ter um telefone pré-pago e plano de dados limitado. Por não ter Internet em casa. Por ter acesso ao wi-fi apenas no local de trabalho. Por não ter locais públicos que ofereçam wi-fi na cidade. Se você, assim como eu, viaja bastante pelo Brasil, sabe que nos grandes centros é muito fácil encontrar uma rede wi-fi, mas, no interior não é bem assim. Este é o risco de gastar energia em uma ação que não trará resultados reais para sua igreja/ministério/marca. Avalie, sempre.

5) Faça o planejamento do conteúdo do seu Instagram. É óbvio que você vai pensar em conteúdos bonitos e que levem a mensagem de maneira mais eficiente. Tanto para o feed, stories e IGTV. Veja se é possível manter seu canal informativo, harmônico e nem sempre precisar cumprir uma paleta de cores padrão. Se partirá para o feed organizado, pense na imagem que será postada diariamente, o conteúdo destas legendas e as hashtags usadas. Foto bonita sem boas legendas e hashtags são apenas belas imagens.

6) Faça testes. Redes Sociais e Marketing Digital são feitos de testes. Você precisa testar as ações e analisar com DADOS se elas estão tendo resultado. Analise a cada post: Alcance, curtidas, comentários, compartilhamentos, salvos, visitas ao perfil, cliques, novos seguidores, uso de hashtags, etc. Não adianta o feed estar organizado e harmônico, mas, não conseguir comunicar o principal que é a Palavra do Reino de Deus, comunicar o seu evento, a sua programação, a sua mensagem.

7) Por favor, não publique no Instagram sem colocar legenda e hashtags. Lembre que as redes sociais são a maneira que contamos histórias e construímos memórias da igreja/ministério/marca e contar histórias. A foto que você publica hoje pode ter uma beleza sem igual, mas, será que ela comunicará algo no futuro? Pode ser, no contexto de hoje. Mas, e daqui 1 ano, 2, 5, 10 anos? Faça valer a memória do seu ministério.

8) Seja relevante. Mais bonito que uma foto/vídeo/arte é você publicar conteúdos transformadores. Que toquem a vida das pessoas, que transforme a jornada delas. Gere experiências, desperte memórias, relembre quem Jesus é!

Trouxe alguns exemplos de feeds que sigo e gosto bastante, considerando as características de cada um. Nunca li teorias sobre isso e estou passando para vocês algo que tenho aprendido e visto no dia a dia. Não acho que um seja melhor ou mais eficiente que outro, pelas análises de alcance, curtidas, seguidores, compartilhamentos que tenho feito. Como disse, o mais importante de tudo isso é a comunicação eficiente. Divido com vocês como funciona na minha cabeça esta questão de feeds:

Feed organizado: Urev, Legacy Jovens (antigo Juventude Lagoinha), Lagoinha Niterói, O centro Hub, Paulo Campos

 

Feed harmônico: YouVersion, The Send, Garotas Peregrinas (mega organizado)

 

Feed informativo: Lagoinha (sede), Hangar 7 Church, IBAB, Marvel Studios, Seblester

 

Feed bagunçados: é lógico que não vou exemplificar aqui. Mas, digamos que posso dizer do meu próprio (risos). Apesar de não usar uma paleta de cores e sistemas de publicações, busco ter um feed informativo. Mas, tenho investido energia em ter um Stories mais ativo que o feed, considerando principalmente que o stories tem mais alcance orgâncio que o feed.

O meu feed. =)

E de tudo que publiquei neste post, faça o que nos instrui Marcos 16.15: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a todas as pessoas! (on ou off-line)