Sobre o caderno capa dura com elástico

Hoje fiquei sabendo sobre caso ocorrido com a blogueira Marina Barbieri e a marca Moleskine através do site ADNews. Ando ralando tanto que não estava sabendo. Fiquei chocada ao saber que uma representante da Moleskine no Brasil enviou um email solicitando que a blogueira retirasse o termo Moleskine do post: “… pedimos que as pessoas chamem o produto do que realmente é: caderno, caderneta… mas não pelo nome da marca, uma vez que é um nome registrado internacionalmente, conforme carta anexa”. Gente, que arrogância. Uma outra representante da marca alega que o episódio foi um erro, que a pessoa que encaminhou o e-mail errou, que ele seria direcionado apenas para quando a marca é mencionada com a finalidade comercial.

Um amigo meu, Cristiano Santos, jornalista e palestrante, fez um post perguntando o que pensamos sobre a questão desta interação cada vez mais robotizada nas redes sociais. E eu resolvi compartilhar meu comentário no post dele aqui no blog, para deixar registrado. Logo eu, uma pessoa que ama Moleskine (tenho até uma tag aqui no blog I love Moleskine)!

MEU COMENTS (adaptado e melhorado haha):

Não vemos o pessoal falar que humanização das redes sociais seja tendência. Na verdade, é uma necessidade latente para marcas e pessoas, como você mesmo bem disse, Cris. Gosto muito do trabalho da Luciana Levy no YouTube. Ela está construindo a autoridade dela dando dicas de uso para o Instagram, inclusive, a interagir mais com as outras pessoas. Tenho trabalhado horrores estes dias e não estava sabendo do caso Moleskine. Fui pesquisar e ao ler a notícia no ADNews fiquei chocada. Cara, eu trabalho tanto para comprar um Moleskine de R$ 100,00. Amo moleskines, vulgo = cadernos de capa dura com elástico. Nunca me deram nada e eu sempre menciono nos meus posts e aparecem em minhas fotos e vídeos. Uso demais. Me sentindo trouxa rsrsrs. Mas, como profissional de digital, vejo falta de empatia e uma ânsia para automatizar tudo. Vamos facilitar a vida, dar mais sentido às coisas. Esta semana recebi um kit da Campus Party + Cartoon + Cinemark que me emocionou. Veio uma carta escrita à mão falando sobre mim. Que experiência incrível! O que as pessoas esperam das marcas é experiência. Isso é Marketing 4.0, baby!

 

P.s.: Depois que postei, acabei voltando. Conheci esta semana o Planner Little Things, de uma querida aqui de Belo Horizonte, a Katy Borges Alvim. Assim que conheci o trabalho dela, decidi que vou tentar usar o Planner por ser mais completo, ao invés do caderno capa dura com elástico.

P.s. do p.s.: Atualizando hoje, dia 28/2, li este post maravilhoso contando que a Cícero enviou um kit para a Marina do Deu Ruim dizendo que “pode chamar de Cícero”. Amo quando as marcas conseguem ver a oportunidade em uma crise nas Redes Sociais e agem com espontaneidade e sabedoria. Eu já conheço e uso cadernos Cícero e fiquei felizona com o resultado.