Ser uma jornalista cristã…

Compartilhei no meu Twitter esta semana sobre uma situação que vivi ainda no início de minha carreira como jornalista. E vou reproduzi-la aqui. Não para dizer que sou melhor que ninguém. Mas, para te encorajar que você é capaz.

Há quase 12 anos uma agência me contratou para produzir matérias para uma revista de uma grande multinacional. Lembro que passei 5 dias (incluindo meu aniversário), decupando as entrevistas e produzindo as matérias para a revista inteira. Me chamaram com o deadline curto.

Pensa em uma pessoa que escreveu, escreveu e escreveu. Entreguei a revista inteira no prazo. A jornalista que me contratou sumiu por uns dias. Lembro até hoje, eu sentada no fundo do ônibus indo para a faculdade, liguei pra ela. Teve a coragem de me dizer que meu texto era pobre.

Que reescreveu a revista inteira porque meu texto não tinha a menor criatividade. Enquanto ela falava, lágrimas de humilhação desciam nos meus olhos. Me senti a pior jornalista da face da terra. Ela disse que iria depositar o valor contratado porque tinha assumido.

Disse que era para repensar meus textos porque eram pobres e sem criatividade e que não via futuro em mim. Ela pagou, mas disse, que não valia o serviço. Fui para a faculdade arrasada, chorei muito no ônibus. Compartilhei com minhas amigas e alguns professores que discordaram.

Naquela época se não fosse o apoio destas pessoas, talvez eu não fosse jornalista hoje.

Hoje no meio gospel vivo algo semelhante. Pessoas que não valorizam meu trabalho. Mas, hoje eu tenho o Renato, meu marido, que me apoia e não me deixa desistir quando esses sujeitos aparecem. Muitos descapacitados que não conseguem ver o valor do trabalho do outro. Tenho ciência de quem sou.

Sei que sou pioneira na Comunicação Digital para o meio cristão evangélico. Não porque me dei este título, mas, porque o próprio mercado reconheceu que desde quando cheguei neste meio tenho lutado para compartilhar conhecimento, ensinar boas práticas e fomentar um mercado saudável de comunicação em prol do Reino de Deus. Tenho alunos em todo o Brasil, já palestrei em todas s regiões do país! É uma luta e eu persevero dia após dia. Escrevi meu livro (Mídias Sociais na Igreja – que hoje está na loja da Helena e da Amazon) e tem mais 3 saindo do forno.

Aquela jornalista e a tal revista? Nunca mais vi. Tenho por mim que ela publicou o que escrevi.

Em outra ocasião quando tive que optar entre continuar trabalhando como jornalista no mercado que chamamos de “secular” ou na igreja, ouvi do meu antigo chefe que ele não conhecia nenhum jornalista evangélico bem sucedido. Eu tomei minha decisão, vim servir ao Reino e decidi que eu seria e melhor jornalista cristã que eu poderia ser. Não por orgulho. Não para mostrar para alguém, mas, para que o nome dele seja sempre, sempre, sempre exaltado. (Mt 5.16).

Deus de fato usa as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias e eu sou uma dessas. (1 Co 1.27). =)

 

P.s.: Ser jornalista não é ser expert em Língua Portuguesa, não é ter os melhores textos. É errar, é ter dúvidas gramaticais, é consultar o dicionário toda hora. Jornalistas não são seres perfeitos, mas, acima de tudo devem ser éticos.

Uma frase que me marcou ainda nos temos da faculdade: “Jornalismo é o exercício diário da inteligência e a prática cotidiana do caráter”. (Cláudio Abramo). É isso.

Meu LinkedIn para quem quiser conhecer um pouco da minha trajetória: https://www.linkedin.com/in/elisandra/

Leia mais

Como preparar a equipe de Comunicação da minha igreja em caso de ausência?

fazendo o planejamento em uma agenda

fazendo o planejamento em uma agendaEsta semana recebi uma mensagem bem curiosa: “Elis, como preparar minha equipe para as férias?”.

Minha resposta é TREINAMENTO ao longo do ano. Na verdade, não apenas em caso de férias, mas, nossa equipe e voluntários precisam estar prontos, aptos para assumir nossas funções no caso de qualquer ausência.

Para quem me acompanha há mais tempo aqui no blog, na lista de transmissão do WhatsApp, redes sociais ou mesmo no meu livro sabe que eu insisto no quesito, treinamento. É essencial treinar funcionários e voluntários para as funções que você exerce.

Uma sugestão que sempre faço é: faça reuniões mensais, repasse as funções de cada um. Um mês o fotógrafo palestra, no outro a equipe multimídia (vídeo/áudio/projeção), redação, redes sociais, etc.

Tenha escala de voluntários, quem sabe crie no Google Agenda e compartilhe com toda a sua equipe.  E prepare a escala para períodos de feriados e férias. Assim, a carga fica mais leve para todos.

Outro item que pode ajudar bastante, é ter um manual com as principais ações que a equipe de Comunicação/Multimídia da igreja desenvolvem.

Uma outra situação pode ser uma igreja que tenha uma equipe bem reduzida e que não dê para substituir por outras pessoas em caso de ausência. Converse com sua liderança. Acredito que poderão te direcionar a quem recorrer, de repente, alguém que não é do ministério, mas, que tenha aptidões para coletar os materiais na sua ausência e assim que alguém estiver disponível, os itens são publicados.

Tem uma brincadeira que faço em minhas palestras sobre atualização de Redes Sociais que cabe para esta situação. Já vi igrejas que publicam 30 stories no Instagram com 10 trechos de uma mesma música. Ou fotos que são publicadas sem uma legenda bem descritiva, apenas pela pressa de postar rápido. Eu brinco que ninguém vai morrer porque você postou um pouco menos nos Stories do Instagram ou demorou um pouco mais para atualizar as redes sociais. É SEMPRE melhor fazer bem feito.

Você tem dúvidas sobre isso? Ou quer colaborar? Deixe nos comentários como sua igreja se prepara para período de férias e ausências de integrantes da equipe.

 

Esses dias fiz um post sobre Planejamento de Comunicação para igrejas. Veja se te ajuda: http://bit.ly/2EqwMqN

Se quer fazer parte da nossa Lista de Transmissão no WhatsApp envie SIM por este link: http://bit.ly/simelis

Livro da Elis – Mídias Sociais na Igreja (impresso): http://bit.ly/livrodaelis

Livro da Elis na Amazon: http://bit.ly/elisnokindle

Quer fazer cursos de Marketing Digital com 15% de desconto? http://bit.ly/dicaelis

Participa da Campus Party Brasil #CPBR12 – de 12 a 17/2, em São Paulo com 10% de desconto (use o código #ELISAMANCIONACPBR12): http://bit.ly/elisamancionacpbr12

O trabalho de compartilhamento de dicas para a área de Comunicação de igrejas aqui no blog, em minhas redes sociais e no WhatApp é voluntário. Se você quiser contribuir para este ministério escreva agora para: contato@elisamancio.com.br

Leia mais

Campus Party – CPBR 12 – está chegando com vários magistrais confirmados!

Participo da Campus Party como campuseira desde 2011. Juntando todas as edições já participei de 9 edições (ainda tiveram regionais). Ali assisti palestras inspiradoras, conheci amigos e parceiros profissionais.

Das palestras que assisti e que mais me marcaram estão nomes como o astronauta Buzz Aldrin, Al Gore, Steve Wozniak, o pai da Internet, Tim Berners-lee, o criador da Atari, Nollan Bushnell e entre outros palestrantes maravilhosos nacionais que eu adoro como o Edney Souza (Interney), Martha Gabriel, Bia Granja, Gil Giardelli e tantos outros.

 

<< PARTICIPE>>

Viver a experiência da Campus Party é difícil de se explicar. Eu costumo dizer que se você gosta de tecnologia, mídias sociais e pensar o futuro, você PRECISA participar deste evento. Uma das frases que eles usam muito e que realmente sempre saio de lá pensando nela é Feel the Future (Sinta o futuro). E realmente, saímos de lá sentindo isso.

Muito do que sou hoje, o livro que publiquei tem a ver com este universo de inovação onde respiro. É um ambiente não inovador, empreendedor e inspirador! Mais uma vez estarei lá, e desta vez, consegui desconto para meus amigos!

A MELHOR NOTÍCIA é que para esta edição consegui um desconto para meus amigos e seguidores! Se você quiser participar acesse o link: aqui. E use o meu código #ELISAMANCIONACPBR12 – nos vemos lá para tomar um café e um bate-papo! E quem sabe até para uma palestra? 

Leia mais

Você é cristão? O preconceito do lado de cá

“Assim, como diz o Espírito Santo:
Hoje, se vocês ouvirem a sua voz,

não endureçam o coração…” (Hebreus 3.7-8)

O texto hoje não é dica para comunicação e mídias sociais. É algo um pouco mais pessoal. Já parou para pensar como nós tratamos as pessoas não cristãs? E como tratamos as pessoas cristãs? Parece tudo tão doce, meigo e generoso, não é mesmo? Mas, na verdade, tenho tido algumas experiências no ambiente cristão que tem me assustado muito. Será que só tem acontecido comigo ou também com vocês?

Muita gente conversa comigo a respeito destes 11 anos em que trabalho com Comunicação em igrejas e ministérios. De fato, sou uma privilegiada. Me converti na Igreja Batista da Lagoinha, em Belo Horizonte/MG, no ano de 2003. Cheguei em uma igreja que sempre investiu em novas tecnologias e maneiras diversas de expandir e pregar o Evangelho com mais eficiência.

Desta vez venho aqui não para falar da alegria que é servir ao meu Rei Jesus como jornalista, consultora, palestrante ou escritora. Hoje venho aqui falar com vocês como filha de Deus, como mulher, mãe e pessoa. Nesta última década estive nos mais diversos tipos de eventos cristãos pelo Brasil. Como é bom ver o povo junto adorando a Deus. Mas, convenhamos, nem sempre as coisas nestes eventos são assim.

Recentemente estive em pelo menos 4 ou 5 grandes eventos diferentes. E apesar de todos serem “cristãos”, tinham públicos muito diferentes. E o que venho falar aqui é sobre algo para falar dentro de casa mesmo, venho falar sobre PRECONCEITO dentro da igreja. Aquilo de você tratar alguém bem por causa do que ela pode te oferecer ou ao contrário, tratar de qualquer maneira porque aquela pessoa não parece ter nada de bom para você.

“Uau, Elis, está doida? Somos crentes em Cristo, amamos uns aos outros e nos respeitamos! Como você vem falar sobre preconceito dentro da igreja?” Sinto te dizer, caro leitor, que a vida não é bem assim. Já senti na pele vários tipos de preconceito, o principal deles o de estar obesa. “Oh Elis, você tem o rosto tão bonito, por que não emagrece?”, preconceito por não usar roupas de marca ou da moda, preconceito por não fazer parte do clubinho AA dos ricos e famosos da igreja. Sinceramente, tenho visto muita hipocrisia cristã e isso tem me incomodado. Conheço minha identidade em Cristo e sei que Ele me ama apesar de qualquer coisa. Glória a Deus por isso. Outro dia ouvi a pregação de um pastor falando sobre a Parábola da ovelha perdida (Lucas 15) e em como nós nos enquadramos mais como fariseus do que os que são de Jesus. Chocante.

Estou aqui para falar à vocês de um outro tipo de preconceito. Aquele que diz: “quem é você para falar comigo?”. Em um destes eventos eu criei uns panfletos bem bonitinhos, em que compartilhei neles dicas práticas para melhorar as redes sociais de igrejas e ministérios. Amados, paguei do meu bolso (e do meu marido, claro) com muita alegria com o objetivo de levar conhecimento técnico que possa ajudar a melhorar a estratégia de Comunicação das igrejas e ministérios. Por diversas vezes ao tentar entregar um destes panfletos fui olhada dos pés a cabeça e ignorada. IGNORADA. A pessoa fingia que não me ouvia. Lembra do contexto? Em um evento cristão onde as pessoas, em tese, estão ali para se conhecer, se abençoar ou compartilhar conhecimento. Eu não estava vendendo nada para ela, estava oferecendo conhecimento gratuito.

Em um dos momentos mais estranhos e toscos que vivi, encontrei um autor best-seller do meio gospel no Brasil, estava super próximo de mim. Aproximei. “Paz do Senhor, pastor, que alegria…”, antes mesmo que eu pudesse dizer qualquer coisa ele viu o folheto na mão e me interrompeu dizendo. “Não tenho o menor interesse em saber disso”. Sabe aquela história? Se você não é famoso, se você não tem algo que pareça relevante pra mim, você não me interessa.

Irmãos, por vezes nestes últimos meses eu orei a Deus sobre isso. Não sou uma pessoa conhecida, não sou famosa, não sou ninguém. Apenas uma serva do Senhor que tem tentado ensinar a igreja a usar a comunicação com mais consciência. Sabe, aquele lance da vergonha alheia de ver tanta gente falando besteira na Internet? Pois, é, meu chamado é ensinar as pessoas a não fazerem EXATAMENTE isso. Não tenho conseguido e falhado muito… simplesmente porque irmãos/irmãs que poderiam também ser referências nesta área preferem se relacionar com o cantor gospel do momento a dar um bom testemunho.

Sempre me pergunto: “o que será que Jesus faria no meu lugar?”. Eu sei a resposta, Ele perdoaria e continuaria a caminhada dele. Por vezes já pensei em parar e desistir. Aquela história: “bora arrumar um emprego e viver honrando o Senhor onde eu estiver”. Mas, não adianta, arde no meu coração falar sobre a importância da Comunicação e do meio digital para as igrejas nos dias de hoje.

Em um outro evento, mais worship, fui como congressista, como outro qualquer. Fui conhecer o pessoal, fazer networking, falar das coisas de Deus. Amados, simplesmente em todas, TODAS, as rodinhas que cheguei para entregar este folheto com dicas de Mídias Sociais eu fui ignorada e olhada de cima a baixo. Por que? Talvez por eu estar obesa? Por eu aparentar ser mais velha e com um look não tão descolado quanto ao da turminha. Minha decisão foi, Senhor, eu vim aqui para te adorar e continuarei fazendo isso. Poucas vezes fui tão agraciada por Deus como neste evento. O Senhor me encheu de novos sonhos e planos. Restaurou sonhos antigos. Sim, Ele faz, apesar de nós.

No evento mais recente fui apresentada para uma infinidade de pessoas. “Ah, a Elis escreveu um livro sobre Mídias Sociais para igrejas, ela tem dado treinamentos na área, pesquisa e conhece bastante sobre o assunto”. Algum tentou me introduzir no grupo. A reação das pessoas: “ah, que bom, vamos jantar? Estou morrendo de fome e preciso dormir”, virando as costas pra mim. Sim, fui ignorada totalmente. Que sem graça. Se Jesus, foi desprezado… Ele disse que passaríamos por aflições.

“Foi desprezado e rejeitado pelos homens,

um homem de dores e experimentado no sofrimento.
Como alguém de quem os homens escondem o rosto,

foi desprezado, e nós não o tínhamos em estima.” (Isaías 53.3)

Sabe por que eu faço o que eu faço hoje? Porque Jesus me chamou. Ele morreu por mim e o que de mais precioso poderia me acontecer está pago. Louvo ao Senhor por isso. E o mínimo que posso fazer é entregar quem eu sou, tudo que sou, os dons e talentos para serví-lo e exaltá-lo. Melhor do que dar qualquer carteirada como jornalista ou seja lá o que for é ser eu mesma, Elisandra, filha de Deus. Alguém que tem recebido desta graça maravilhosa ao acordar todos os dias.

Trabalhar no meio cristão não é tão cor-de-rosa como pode parecer. Trabalhar no meio cristão pode parecer um pouco mais com um sepulcro caiado do que com um belo jardim. Sabe por que escrevi este texto? Para que se você, teve paciência de ler até aqui, prestar atenção no seu comportamento “cristão” por onde passa. Será que você se parece tanto com Jesus como você pensa? Será que você inclui ou exclui as pessoas na conversa? Será que o motivo de você frequentar uma igreja, um show ou uma conferência workship é os Stories “massa” que você vai produzir?

Cuidado, Jesus está voltando. E você vai prestar contas do sangue de todos aqueles que passaram por você.

Elis
Uma ninguém, transformada em alguém pelo sangue maravilhoso de Jesus.

 

Leia mais

Stories no YouTube? Como assim?

A plataforma YouTube liberou para canais com mais de 10 mil inscritos a função Stories.

A ideia do YouTube não é ser apenas uma plataforma de vídeos, mas, cada vez mais uma rede social. Detalhe, no YT os vídeos vão durar 1 semana e poderão receber comentários e ainda, retorno do autor do canal.

Para usar a função (para quem tem mais de 10 mil inscritos) é só ligar pelo aplicativo no seu celular e interagir com seus inscritos.

Minha dica, hoje tem Stories em tudo quanto é lugar. Mas, para o YouTube varie o material, não publique o mesmo Stories do Instagram no YT. Tudo bem falar do mesmo assunto, mas, fale de maneira diferente.

Fico aqui pensando… já imaginou o que Jesus e os apóstolos compartilhariam diariamente se estivessem nesse meio digital? Acho que eles não falariam sobre cabelo. Mas, com certeza diriam que o Reino de Deus está próximo!

Faça a diferença! Leve mensagens de paz, amor e esperança para as pessoas!

Deus abençoe!

Elis e Renato
www.elisamancio.com.br
Instagram: @elis_amancio
YouTube.com/elisamancio

Fonte: Tecnoblog.

Leia mais

Como fazer o Planejamento para minha igreja?

Como fazer o • Planejamento Anual • da comunicação da minha igreja/ministério? Este post é bem direto, pois, foi compartilhado em minha lista VIP no WhatsAPP. Inclusive, se quiser fazer parte dela é só enviar “sim” por este link aqui: http://bit.ly/simelis

Muita gente me pergunta sobre como montar um Plano de Comunicação para Igrejas, mas, a ideia aqui é trazer algumas perguntas, que precisam mesmo de respostas para que você tenha um documentos que norteie as ações da área de Comunicação/Multimídia da igreja.


– Alinhe a visão da Comunicação com o pastor/liderança: não adianta desenvolver ações aleatórias sem o alinhamento necessário com a liderança. É preciso entender como ele pensa, o que ele espera para o próximo ano e quais são os principais eventos para uma agenda coerente.

– Por que vocês usam a comunicação? Muita gente não sabe responder esta pergunta. Mas, é essencial saber qual é o objetivo de vocês estarem na Internet como igreja? Evangelizar? Divulgar cultos e eventos? Ser uma palavra de alento ao desesperado? Fazer campanhas (campanha contra o suicídio, aborto, câncer de mama, câncer de próstata e por aí vai)? É preciso ter muito claro, por que vocês usam a comunicação. Isso irá servir como bússola para todas as áreas. Uma sugestão? Estude sobre o Golden Circle que é uma metodologia usada por grandes marcas como a Amazon e a Apple e que ajudou a descobrirem o propósito delas. Quando se lê “empresa” no conceito, entenda como sua “igreja/ministério”. Adapte a linguagem. As igrejas não são empresas, mas, muitos dos princípios que vemos hoje, podem ser bem adaptados para tornar a mensagem do Evangelho mais conhecida e de maneira eficiente.

– Quais os objetivos como comunicação para 2019? Já conversei com líderes que estão na Internet porque “todos estão e eles precisam estar”. Comunicação é mais que isso. É entender claramente o que você pretende ao utilizar canais de comunicação como boletins, vídeo de avisos nos cultos, mensagens no whatsapp, posts no Instagram/Facebook/Twitter, vídeos para o YouTube, devocionais nos blogs/sites. Objetivo é compreender a importância da Comunicação hoje e como poderá ajudar a igreja a falar de esperança, paz e amor de maneira a alcançar aqueles que jamais pisariam em suas igrejas ou ouviriam suas músicas.

– Qual necessidade sua igreja pretende atender no meio digital? Já ouviu falar que o Marketing Digital trabalha hoje em atender a “dor do cliente”? É sobre isso que estamos falando aqui. O que você como igreja tem a oferecer para as pessoas? Elas estão procurando o que você publica ou simplesmente você coloca algo no meio digital por achar que é o que as pessoas precisam ouvir. É diferente falar diretamente ao problema de alguém a publicar qualquer coisa para cumprir tabela de atualização nas redes sociais. É por isso que vemos tantos e tantos Stories no Instagram sem relevância alguma. Quem publica não pensa no público, mas, apenas em sim mesmo.

– Crie a linha editorial (sobre o que vão falar?) Um ponto chave da Comunicação é ter no planejamento mapeado sobre quais assuntos e conteúdos vamos falar ao longo do ano. Alguns exemplos:
* Falar sobre a Bíblia (devocionais, repercutir sermões)
* Mensagens dos cultos (textos para o site, foto com legenda bem descritiva, álbum no Facebook, lives)
* Fotos de momentos marcantes na história da igreja/ministério
* Vídeo devocionais
* Tira dúvidas dos membros sobre determinados temas
E por aí vai. Cabe a igreja trazer pautas como humor/memes, política, esportes? Isso depende do que foi acordado no Planejamento Anual e se tem a ver com a atual liderança. Nem todo mundo tem este perfil. Esteja bem atento a isso.

– Com quem você quer falar? Ahhhhh, o povo! Sim, sabia que os canais digitais existem para se comunicar? Pois é, vejo que muitas vezes as igrejas/ministérios esquecem disso e publicam conteúdo sem limites, às vezes 5 por vez, sem se preocupar com uma comunicação clara, coerente e concisa! Tenha claro, com quem você fala? Com quem você quer falar? Para isso, analise os gráficos de Analytics do seu Facebook, Instagram, Twitter, Pinterest e YouTube. Eles vão te mostrar as faixas etárias que mais te seguem, cidades, países, línguas que eles falam. E isso é essencial para saber se você está falando com as pessoas certas. Pior, se está usando as estratégias de comunicação certas para atingir aquele público.

– Em quais redes sociais vai estar? Seu público está nela? Como no item anterior, sabendo onde o público que você quer falar é, fica mais fácil gastar sua energia nos canais onde eles já estão.

– Crie metas (reavalie a cada 90 dias)? A cada 3 meses faça um relatório dos avanços, desacertos e possíveis melhorias. O planejamento é um documento para auxiliar e não perder o foco, mas, muitas vezes irão perceber que é importante terem reajustes.

– Abra mão de criar arte no celular e invista em cursos, treinamentos e em ferramentas essenciais como Lightroom, Premiere, Trello (grátis) e Mlabs. E claro, esperando sempre que as igrejas não estejam utilizando softwares pirata.

– Crie um calendário editorial com as datas mais importantes da igreja ao longo do ano (e do país). O calendário anual vai direcionar o esforço da comunicação ao longo do ano, prever os eventos que estão chegando e ações que precisam ser desenvolvidas para que um evento ocorra com mais tranquilidade. Para que haja tempo de treinamento de equipes que vão trabalhar na cobertura on-line dos cultos/congressos. E mesmo, preparar homenagens para líderes e pessoas importantes na história da igreja local.

– Se não tem, crie uma rotina de produção de conteúdo, texto, fotos, artes, vídeos. Toda semana é preciso gastar tempo produzindo e editando conteúdos para as redes sociais. Mas, algo que se faz pouco é o trabalho de curadoria. Ler artigos, ver vídeos ou pregações e compartilhar materiais que são produzidos por terceiros. Qual o problema do cristão em compartilhar bons conteúdos que são produzidos por outros irmãos?

– Faça transmissão on-line dos seus cultos. Hoje é possível transmitir do próprio celular, fato. Mas, mais do que a importância de se ter um bom equipamento é ter uma boa conexão de Internet que possibilite transmitir o culto/evento com uma boa qualidade de som e imagem.

– Crie uma playlist na Deezer e no Spotify com as músicas tocadas nos cultos. Sabe quando você vai ao culto e ouve algumas músicas, mas, não sabe a referência, esqueceu a frase e fica com vontade de ouvir mais vezes? Penso que as igrejas poderiam criar suas próprias Playlists no Deezer e no Spotify com as músicas tocadas nos cultos daquele mês. Exemplo: Igreja louvor nov/18.

– Grave os áudios das mensagens e transforme em podcasts para plataformas de streaming de áudio. Geralmente as mensagens são longas para colocar em streaming, mas, elas podem ser fragmentadas em partes e publicadas nestas plataformas. No momento ainda não é possível que uma pessoa/igreja individualmente entre em contato com o Deezer e Spotify para publicar seus conteúdos. Existem empresas que oferecem este serviço, uma espécie de HUB. Eles recebem seus conteúdos e distribuem em plataformas de streaming em todo o mundo. Outro ponto, precisamos de Podcasts cristãos. É maravilhoso ouvir materiais de qualidade, assuntos relevantes. Acredito que o Brasil ainda não tenha entendido a força dos Podcasts.

– Crie o organograma da Comunicação e divida as responsabilidades. O organograma existe para entender a estrutura eclesiástica da igreja e quem é líder de quem. Geralmente o pastor da igreja está na liderança principal, um outro pastor como líder da área de Comunicação e Multimídia, e pessoas qualificadas tecnicamente e alinhadas na visão do Reino de Deus lideram as demais equipes e voluntários. Em algumas igrejas há áreas bem definidas como: Fotografia, vídeo(multimídia), redes sociais, projeção, iluminação, jornalismo/site, design, e por aí vai.


– Crie escala de voluntários (e treine as equipes). Uma ferramenta que pode auxiliar a montar a escala de voluntários e  ações semanais da Comunicação é o Trello (que também é um aplicativo gratuito). Mas, cada um tem uma maneira de trabalhar. Pode ser o quadro (lousa) na sala, com as divisões, a metodologia Canvas (com post its) enfim, o importante é encontrar uma maneira de organização que facilite a comunicação da igreja. Há algum tempo criei um modelo para ajudar na comunicação das igrejas, vocês podem baixar aqui: http://bit.ly/quadroelis

– Reivindique para a liderança equipamentos básicos de trabalho (quem sabe uma campanha de doação). ⠀

– Discipule sua equipe. Mais importante que o talento é A pessoa. Posso comentar aqui algo que tem me assustado muito? Tenho visto muita gente desigrejada, que apenas frequenta igrejas sem vínculo direto apenas para estar na área de Comunicação/Multimídia. Discipulado é essencial. Aprendi algo com o pastor Ryan Adams da Urev que mais importante que a habilidade da pessoa é o caráter transformado. E só caminhando com a pessoa, discipulando e treinando é possível saber disso.

– JAMAIS se esqueça que o propósito da Comunicação da igreja é comunicar o Reino.

🌎“Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura”. (Mc 16.15).

 

P.s.: No meu livro, Mídias Sociais na Igreja falo um pouco mais sobre isso no Capítulo 4. http://bit.ly/livrodaelis.

Leia mais

BH recebe evento sobre Comunicação e Missões

Nos dias 21, 22 e 23 de novembro, a capital mineira recebe o evento Comunica Missão, que é realizado pelo grupo Povos e Línguas.

Não vi nenhuma divulgação sobre o evento, mas, uma integrante de nossa comunidade no Facebook encontrou e nos enviou. Ao checar a programação não tive dúvidas de que deveria ajudar na divulgação.

A programação é 100% gratuita e terá temas muito relevantes.

A entrada é gratuita mas, é preciso fazer a inscrição pelo site: http://comunicamissao.com.br

 

PROGRAMAÇÃO (conforme apresentado no site do evento)

21/11 (quarta)
14h Abertura
Palestra: Porque ComÚnica Missão? – com Breno Vieitas
Palestra: Quem quer grana? – com Verônica Brendler
15h
Coffee break (20 min)
Painel: Produção e Criação – com Joel Craig, Jonathan Enns e Marina Rodrigues
Podcast Live: Irmãos.com e Verônica Brendler

19h30
Painel: Documentários – com Breno Vieitas, João Costa e Marina Rodrigues
Painel: Cinema e Narrativa Ficcional – com Marco Antônio e Verônica Brendler

22/11 (quinta) 
9h
Podcast Live: Irmãos.com e Erní Walter

10h30
Coffee break (20 min)
Palestra: Comunicando o Reino – com Arlen Isaak

14h
Palestra: Você sabe com quem está falando? – com Jullyana Pimenta
Palestra: Escrevendo a ideia – com Marina Rodrigues
Painel: Luz em Ação – com Joel Craig, Jonathan Enns e Arlen Isaak
Podcast Live: Irmãos.com e Fabíola Melo

19h30
Palestra: Pastoreando uma igreja virtual – com David J. Soto
Palestra: Vocação – com Paulinho Degaspari
Palestra: A Bíblia como um grande plano de comunicação – com Erní Walter
Painel: Novas Mídias – com Fabíola Melo

(23/11) sexta
9h
Palestra: Missão e o avanço da tecnologia – com Rita El Mounayer

10h30
Coffee break (20 min)
Podcast Live: Irmãos.com e Marina Rodrigues

14h
Podcast Live: Irmãos.com e Marcela Taís
Palestra: Realidade Virtual – com Arlen Isaak

15h
Coffee break (20 min)
Painel: Televisão e conteúdo – com Rita El Mounayer (Sat-7) e Rodrigo Taniguchi (Rede Super)
Network: Ampliando horizontes

19h30
Palestra: Cultura infantil – com Rita El Mounayer
Palestra: Conhecimento que liberta – com Marcela Taís
Painel: Sat-7 Kids – com Rita El Mounayer

Encerramento: Apresentação musical Marcela Taís e banda.

Nos vemos lá!

SERVIÇO
ComUnicaMissão – Congresso de Cinema, Mídia e Missão
Data: 21, 22 e 23 de novembro de 2018
Inscrições GRATUITAS: https://www.e-inscricao.com/povoselinguas/comunicamissao
Local: Igreja Metodista Congregacional. Rua Ponte Nova, 280 – Colégio Batista – Belo Horizonte/MG.

Leia mais

Capacitação para músicos: Música Pensada – em Belo Horizonte

O guitarrista Jarley Brandão está preparando um curso intensivo para músicos! Será o Música Pensada que será realizado nos dias 8 e 9 de dezembro, na Fábrica de Artes, em Belo Horizonte/MG.

Além do Jarley vão participar do curso os professores: Sérgio Gomes, Letícia Brandão, Tiago Balbino e Elis Amâncio (falando de Mídias Sociais). As vagas são limitadas.

As inscrições podem ser feitas pelo site: http://bit.ly/musicapensada

Participe!

Leia mais

Livro Mídias Sociais na Igreja em Espanhol

Tenho uma notícia INCRÍVEL para vocês!!!
Acabei de assinar contrato com a @editorialpatmos • isso quer dizer que muito em breve meu livro Mídias Sociais na Igreja será lançado em Espanhol (físico e digital) para toda a América Latina, Estados Unidos e Espanha! E claro, para todas as plataformas de livros.

Muita gratidão à toda equipe Patmos pelo convite e confiança! Tenho certeza que será uma longa parceria!

Outra boa notícia é que estou quase terminando meu 2º livro, o Manual de Comunicação para Igrejas. Em breve divulgo mais detalhes.

Se você conhece alguém que fala Espanhol ou é do mundo hispano, marque nesta postagem!

Obrigada à todos que se lembram de orar por mim, por minha família e por este propósito de levar a mensagem do Reino por meio da Comunicação!

======

¡Tengo una noticia increíble para ustedes! (¡Pérdon mi español de principiante!) Acabo de firmar un contrato con Editorial Patmos. Quiero decir que muy pronto mi libro Medios Sociales en la Iglesia será lanzado en español (libro físico y digital) para toda América Latina, Estados Unidos y España. Y claro, para todas las plataformas de libros. ¡Mucha gratitud a todo el equipo Patmos por la invitación y la confianza! ¡Estoy segura de que será una larga asociación!

Otra buena noticia es que estoy casi terminando mi 2º libro, el Manual de Comunicación para Iglesias. En breve divulgo más detalles.

Si usted conoce a alguien que habla español o es del mundo hispano, marque aquí. ¡Gracias a todos los que recuerdan orar por mí, por mi familia y por este propósito de llevar el mensaje del Reino por medio de la Comunicación!

Leia mais

Comunicação para Igrejas – como estruturar, o quê e como fazer?

Um dos pedidos de ajuda que mais recebo nas redes sociais, em consultorias e mentorias é sobre como estruturar a Comunicação de uma igreja e ministério. Sei que pode parecer algo complexo, mas, vou tentar simplificar com algumas dicas aqui.

Se você ainda não leu meu livro Mídias Sociais na Igreja, te convido a ler a versão gratuita em pdf que está aqui no site, também vai te ajudar. Agora, se você já leu e quer se aprofundar um pouco mais, leia os passos abaixo:

  • Alinhe com sua liderança quais sãos os objetivos, expectativas e diretrizes para você direcionar o Ministério de Comunicação.
  • Defina com a liderança como será a hierarquia do Ministério. Geralmente a liderança da Comunicação fica com um pastor da igreja ou um dos pastores, como líder espiritual. E um líder de área técnico que pode ser jornalista, publicitário, relações públicas, designer, produtor de vídeo, etc., ou seja, uma pessoa com características de liderança e que entenda o processo da Comunicação. Em alguns casos o líder do ministério é pastor e líder técnico. É muito importante definir a hierarquia para que as pessoas entendam e se sintam parte.
  • A Comunicação é responsável por quais áreas da igreja? Geralmente das equipes de áudio, vídeo – gravação/transmissão, jornalismo, projeção (multimídia), boletim/jornal, site, mídias sociais, fotografia, comunicação interna, design, etc.
  • Crie uma escala de trabalho tanto para equipes contratadas, quanto para voluntários. Já visitei igrejas que possuem quadro na sala da Comunicação/Projeção com a escala semanal/mensal. Além da organização e do senso de responsabilidade, saber quem está na escala facilita encontrar substitutos em uma possível ausência.
  • Estruture um Planejamento da Comunicação com cenário da igreja/ministério, objetivos, ações pretendidas, prazos, quem vai executar o quê e compartilhe com a equipe para que todos estejam envolvidos no mesmo propósito, cientes de que cada um faz parte dessa construção.
  • Faça treinamentos/palestras com a equipe/voluntários. Mesmo que sua igreja não tenha profissionais da área, ou seja, o perfil técnico para ensinar o cotidiano destas áreas. Convide profissionais que você conhece para realizar palestras para as equipes. Não precisa ser alguém de fora, que gere custos para sua igreja, mas, quem sabe algum amigo, vizinho e conhecido de membros da igreja. Frequentemente sou convidada para dar treinamento na área de Conteúdo e Mídias Sociais e sei de diversos outros profissionais que também cedem seu tempo para auxiliar igrejas. Aproveite os treinamentos para colocar em prática o que estão aprendendo.
  • Outra pergunta recorrente que recebo é sobre como conseguir voluntários para a Comunicação. Espero que este post mais detalhado possa te ajudar: http://bit.ly/voluntarioscomunicacao
  • Depois que você está com a Comunicação estruturada é comum as pessoas não saberem como divulgar eventos da igreja e do ministério. Há pouco tempo fiz um post sobre isso, deve te ajudar: http://bit.ly/como2018
  • Se você está pensando em fazer transmissão dos cultos e eventos de vocês. Eu sugiro que leia este post específico sobre transmissões: http://bit.ly/5dicasdaelis

 

Algumas FERRAMENTAS que podem te ajudar neste processo!

  • Criação de conteúdo e agendamento: Para organizar e programar conteúdo nas Redes Sociais indico a ferramenta mLabs – acesse o site mlabs.com.br e use o código promocional MLABSAMANCIO para testar gratuitamente por 30 dias. Depois do período de testes ela custa a partir de R$ 12,90 por mês.
  • Calendário Editorial: No próprio Mlabs tem um Calendário Editorial onde você pode anotar suas ideias de posts, datas comemorativas/especiais para criar seu conteúdo e posteriormente agendar.
  • No Mlabs também tem a ferramenta de Workflow que faz a gestão da tarefa e aprovação de posts. Sugiro assistir aos vídeos no canal do YouTube deles, que tem ensinando tudo passo a passo: https://www.youtube.com/user/socialmlabs
  • Calendário de eventos: Uma opção é criar um calendário compartilhado no Google Agenda com toda a liderança envolvida. Aproveite os meses de outubro e novembro para organizar com sua liderança o calendário de eventos do próximo.
  • Trello: eu também uso o Trello para organizar minhas demandas, gerenciar tarefas e para a gestão de trabalhos em equipe. Tenho um quadro gratuito que eu liberei – tem que entrar nele e gerar uma cópia para você, é só ler as instruções.  Este quadro é um exemplo de como organizar suas ações: http://bit.ly/quadroelis
  • Google formulários/google Docs: para organizar as demandas que chegam para a Comunicação. Eu sempre sugiro ter um canal exclusivo para receber demandas, isso organiza e otimiza o processo. Se você quiser, tenho um modelo detalhado aqui neste link: http://bit.ly/briefingigreja
  • Canva.com: conheço muita igreja que não tem designer e batalha criando artes por aplicativos no celular. Posso dar um conselho? Prefira usar estes aplicativos no computador e use o bom senso. No site do Canva existem uma infinidade de artes prontas editáveis e que podem auxiliar na divulgação da sua igreja ou ministério. Está na dúvida se ficou bom ou ruim? Antes de divulgar, envie para pessoas da sua confiança, aquelas que não ficarão constrangidas em te dizer que não está bom ou está bom.
  • Text Overlay (Facebook): com a arte pronta, envie para o link do Facebook Text Overlay para saber se a arte está ou não com excesso de informação. Se a arte for reprovada, sugiro fazer ajustes nela até estar aprovada com o OK.Estude estes conteúdos sem pressa e faça tudo com calma, sob oração e orientação de sua liderança. Deus abençoe.

Tem alguma dúvida? Escreva para nós: contato@elisamancio.com.br

Para consultorias, mentorias e palestras: (31) 9 99502-1305.

Leia mais