A Mídia Brasileira na Copa (Overdose de Neymar)

Mineirão. Foto: Elisandra Amâncio

Lembrando do motivo pelo qual criei este blog em 2007, vi que estava na hora de voltar. O Blog Verdadeiro Jornalismo surgiu da necessidade de analisar e comentar o comportamento da Imprensa para jornalistas, estudantes de Comunicação e interessados na área. Vendo que o blog mesmo sem atualização tem mais de 1 mil novos acessos por mês, quis escrever sobre a cobertura da Copa.

Estamos na última semana da Copa do Mundo da Fifa 2014 no Brasil. Há três dias o jogador brasileiro Neymar sofreu uma lesão no jogo contra a Colômbia e está fora da Copa. Depois do choque com o jogador colombiano Zuñiga, ele fraturou uma vértebra na lombar e terá de quatro a seis semanas de recuperação. Lamentável.

Mas, fazendo uma análise da mídia nestes últimos três dias, usando um pouco de eufemismo, a imprensa esta sofrendo de “overdose de Neymar”. Todos os programas de TV e telejornais têm abordado com bastante veemência a saída do jogador da Copa. Ao invés do foco estar nas quatro seleções que estão nas semifinais da competição, que são Alemanha, Argentina, Brasil e Holanda, falam ainda mais de… Neymar.

Como jornalista, fico me perguntando em que momento a linha editorial de um canal de TV, de um programa, site, jornal ou revista perdem o seu foco. Sabemos da importância do tão mencionado jogador seja em qual time (seleção) ele jogar. Mas, e os companheiros que ficaram? E os outros tantos jogadores qualificados e que também se prepararam para estar ali?

Soube por uma amiga que o Milton Neves chegou a comparar a comoção em torno da lesão de Neymar com a morte do Ayrton Senna em 1994. Como assim? Que jogada é essa em busca da audiência? Em uma rápida busca nas redes sociais é possível perceber que nem mesmo o público em geral está gostando desta enxurrada de Neymar na mídia.

Gosto de acompanhar o trabalho da imprensa esportiva brasileira, mas confesso que estou decepcionada com esta última semana de Copa do Mundo. Poderiam explorar bem mais sobre o Turismo no Brasil, conversar com os “gringos”, saber as experiências deles e do país que se preparou para receber a Copa (setor hoteleiro, comércio e serviços). Abordar mais sobre a tragédia ocorrida com a queda do viaduto em Belo Horizonte/MG que resultou na morte de duas pessoas. Existe muita pauta importante e boa para ser feita, falta é gente com iniciativa para desenvolvê-las.

Temos pelo menos mais uma semana intensa de notícias sobre o Mundial de Futebol, tomara que a Imprensa encontre um novo tom para a cobertura jornalística