A Era das Intolerâncias

A história deste texto começou com a observação da minha timeline nas redes sociais. Nas últimas semanas a palavra intolerância tem sido bastante usada por diversos tipos de grupos. E ao aprofundar um pouco mais na leitura dos últimos acontecimentos me gerou uma reflexão que resultou no post desta imagem abaixo.

A Bíblia nos ensina em Gálatas 5 sobre o Fruto do Espírito na vida daqueles que realmente estão caminhando com Deus. Um deles é o domínio próprio, ou seja, é quando conseguimos analisar e medir nossos atos, agindo com prudência e responsabilidade, e não o contrário, que seria inconsequentemente.

Se tem algo que gostaria de dizer é que Jesus, SIM, Ele me representa. Existe um ditado antigo que diz que “quem fala demais dá bom dia para cavalo”. Infelizmente o que temos visto nas redes sociais e na imprensa é bem isso.

Pessoas que tem espaço e oportunidade para falarem o que querem e muitos acreditam que estas “figuras” representam determinadas categorias. Falta conhecimento e sabedoria. A Mídia (Imprensa) e o povo não compreendem, por exemplo, o que são os evangélicos e os enxergam como uma instituição apenas (única). Acredito que seja por causa da nossa base católica. Nasci no catolicismo e sei que temos uma figura central que representa a religião, que é o Papa. Com os evangélicos é diferente. São milhares de denominações e não existe (lembre, não existe) uma figura central que represente os evangélicos no Brasil e no mundo a não ser o próprio Jesus Cristo.

Tenho o maior respeito pelas confissões de fé das pessoas. Há pouco mais de 10 anos sou crente em Jesus, o que chamam de ser protestante, neopentecostal e outras nomenclaturas que não me importo. É importante entender que existem várias igrejas evangélicas diferentes, com líderes diferentes e que vivem doutrinas diferentes.

E conhecendo um pouco mais sobre isso, como jornalista e cristã, me preocupo com o rumo que estas “conversações”estão chegando. Jesus me representa, não é este ou aquele “líder” ou “pastor”que estão aí na mídia que representa todos os evangélicos no Brasil. Não caiam nesse engano.

Sinto uma tristeza profunda ao ver líderes falando o que pensam sem analisar a quem estão afetando. Falta sabedoria. E falta sabedoria e apuração da Imprensa que não estuda melhor sobre as instituições evangélicas antes de falar. Generalizar tem sido um dos maiores erros. São muitas denominações diferentes e faltam bons líderes que sejam porta-vozes do que cremos de verdade.

A Bíblia diz em Provérbios 17.28: “Até um tolo pode passar por sábio e inteligente se ficar calado”. Existe uma pressa para falar, dar declarações nas redes sociais e na mídia que atropelam fatos.

Como jornalista vejo que o erro da Mídia é não conhecer os evangélicos. E o dos evangélicos é falar de TUDO, MENOS do amor de Jesus.

Estamos vivendo no Brasil a Era das Intolerâncias. É como se não tivéssemos mazelas suficientes como a corrupção, a miséria e a fome para cuidar. É como se não morressem pessoas todos os dias em acidentes de trânsito, é como se não morressem mulheres todos os dias vítimas da violência doméstica ou em clínicas de aborto.

Espero que não sejamos os “donos”da razão, mas sim, pacificadores (Mateus 5.9) em uma geração de intolerantes.

Elis Amâncio

Artigo publicado originalmente em 20/06/2015 – http://bit.ly/eradasintolerancias